O vírus Zika é uma doença infecciosa emergente com potencial de disseminação rápida em áreas onde o seu vetor, o mosquito Aedes, esteja presente.

O objetivo desta página é disponibilizar uma plataforma para desenvolvimento e compartilhamento de protocolos e práticas de pesquisa, sistemas de captura e banco de dados, bem como uma agenda com prioridades em pesquisa relacionada ao vírus Zika. Além das ferramentas de pesquisa listadas acima, esta página traz também informações atualizadas sobre a epidemiologia e o manejo clínico de pacientes infectados pelo vírus Zika.

Pesquisa clínica é definida como a avaliação sistemática dos determinantes de desfechos biomédicos ou clínicos, de acordo com protocolos de pesquisa pré-estabelecidos de caráter observacional ou intervencionista, com o intuito de coletar e analisar dados e gerar novos conhecimentos com possam ser generalizados para outras populações.

Na abordagem de uma epidemia de uma doença emergente e pouco estudada, é importante a geração rápida de grande quantidade de conhecimento sobre os diversos aspectos dessa doença, facilitando assim a identificação das melhores intervenções clinicas para a condução de cada caso e também o desenvolvimento de uma estratégia de saúde pública para a contenção da epidemia.

Os dados originados de ações de pesquisa são fundamentais para a melhor compreensão  do patógeno e da historia natural da doença, possibilitando a priorização adequada de intervenções diagnósticas, terapêuticas, epidemiológicas e de saúde publica que sejam eficazes e eficientes para o controle da epidemia e o tratamento dos pacientes. As intervenções mais promissoras são rigorosamente avaliadas com a segurança e a ética do ambiente de pesquisa clínica.

Em geral, a pesquisa clínica exige o consentimento informado dos pacientes e é realizada de acordo com protocolos específicos que são previamente aprovados por comitês de ética em pesquisa em seres humanos antes do inicio dos trabalhos.

Há uma diferença fundamental entre a coleta de dados necessários para decisões médicas individuais e aqueles para fins de pesquisa clinica ou epidemiológica. As informações para fins de pesquisa diferem porque são obtidas de forma rigorosa para posterior análise, interpretação e publicação e ampla divulgação em revistas especializadas. A aquisição destes dados tem requisitos específicos (regulatórios e éticos) e por isso é importante que inicio da preparação dos estudos clínicos se dê o mais cedo possível, ou mesmo antes do inicio da epidemia, de modo que o conhecimento gerado ajude na forma de gerir, conter e, eventualmente, tratar a doença.

O recente aumento do número de países americanos afetados pelo vírus Zika tornou clara a necessidade de uma plataforma confiável e segura para a coordenação dos esforços científicos e a divulgação de informações clinicas e epidemiológicas precisas. Essa plataforma objetiva disponibilizar recursos atualizados e informar profissionais de saúde sobre diretrizes, recomendações e outras informações clínicas relevantes.  Ela também foi desenhada para possibilitar o compartilhamento de ferramentas de pesquisa, bancos de coleta de dados e praticas de pesquisa estandardizados para facilitar a coleta de dados científicos da forma mais eficiente e rápida . Ele também está projetado para permitir o compartilhamento de ferramentas de pesquisa, protocolos e práticas com o objetivo de apoiar a obtenção de dados de pesquisa tão rapidamente e tão eficaz quanto possível.

 

Administradora da página:
Chelsea McMullen, MSc
International Severe Acute Respiratory and emerging Infection Consortium
Universidade de Oxford
Oxford, Reino Unido
Coordenador cientifico:
Fernando Bozza, MD, PhD
Instituto Nacional de Doenças Infecciosas
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Ministério da Saúde
Rio de Janeiro, Brasil

Para maiores informações, perguntas ou contribuições favor contatar: zikainfection@tghn.org

 

Esta página resultou da colaboração entre as seguintes instituições:
- Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
- Consórcio Internacional de Infecções Respiratórias Agudas Graves e Emergentes  (ISARIC, do inglês International Severe Acute Respiratory and Emerging Infection Consortium)
- Rede de Saúde Global  (TGHN, do inglês The Global Health Network))
- Organização Mundial da Saúde (OMS)
- Institut Pasteur International Network (IPIN)
- ERASMUS MC 
- PREDEMICS 
- ANTIGONE 
- iDAMS 
- PREPARE EUROPE 
- REACTing (Aviesan)
- German Centre for Infection Research (Instituto de Virologia – Centro Médico da Universidade de Bonn)